Pais podem ensinar educação financeira às crianças desde cedo

A partir dos três anos de idade já é possível ensinar aos pequenos, noções básicas sobre o valor e importância do dinheiro

 

Aprender a lidar com o dinheiro é uma atividade que deve começar cedo. Com o Dia das Crianças chegando e os preços brinquedos nas alturas, os pais e familiares podem aproveitar essa época do ano e ensinar às crianças um pouco mais sobre o orçamento doméstico e educação financeira, sem deixar de lado a celebração da data. “A partir dos três anos de idade, já é possível ensinar aos pequenos, noções básicas sobre o valor e a importância do dinheiro”, afirma Luciana Ikedo, especialista educação financeira e investimentos, sócia-proprietária do escritório Ikedo Investimentos, em São José dos Campos.

Segundo ela é importante, por exemplo, mostrar às crianças de onde vem o dinheiro da família, que ele é fruto de muito trabalho e, por isso, deve ser economizado e gasto com muita sabedoria e cautela. “Muitos pais evitam levar as crianças às compras, mas, este é um momento importante e que, se partilhado, pode ser muito bem aproveitado. É essa a hora de, por exemplo, explicar a eles o custo daquele brinquedo com temática do personagem infantil favorito, em relação ao preço de outros itens, que não levam esse tipo de bandeira de personagem”, ensina Luciana. “Este é, inclusive, um momento em que o comércio aproveita a oportunidade para aumentar os seus lucros vendendo brinquedos por preços altos para quem não se planejou”, acrescenta a especialista.

Estipular quanto a criança poderá gastar com o presente e incentivá-la a economizar, também é uma dica importante e que ainda estimula o consumo consciente. “Ao desistir de gastar todo o dinheiro em um único item e substituí-lo por um mais em conta, a criança percebe que com o restante poderá realizar outra atividade, comprar outro produto ou ainda poupar e realizar algum sonho a longo prazo”, reforça a especialista. Outra sugestão seria até mesmo realizar a própria fabricação de um brinquedo em casa, uma atividade de família. “Pesquisar em pequenos comércios de bairro os preços é uma saída e ainda estimula a economia colaborativa, enfatiza Luciana.



Deixe uma resposta

Top